HOME > CULTOS/RELIGIÕES > ISLAMISMO 

» 6. O ALCORÃO CONTÉM FUNDAMENTOS CIENTÍFICOS QUE PROVAM QUE ELE FOI INSPIRADO POR DEUS

 Afirma-se que há certos processos científicos descritos no Alcorão que não eram conhecidos no tempo de Maomé e sua presença prova que o Alcorão foi divinamente inspirado. Versos foram tomados fora do contexto e traduções foram torcidas para tentar provar esses pontos. Por adição, livros de ensino padrão escritos por cientistas do ocidente foram republicados na Arábia Saudita com passagens do Alcorão neles inseridas em certos pontos para dar a impressão que o Alcorão descreveu acuradamente algo que não fora descoberto até recentemente. O resultado é que a maioria do povo aceita essas reivindicações como certas, já que não sabem o bastante ou sobre o verdadeiro significado do árabe ou sobre possíveis fontes dos fatos científicos na época de Maomé.

 Exemplos dessas reivindicações inclui versos que falam sobre a queda da chuva, e outros que dizem que há água no subsolo; conclusão: o Alcorão está descrevendo o ciclo das águas. Uma comparação com versos da Bíblia mostra que as mesmas idéias já circulavam muito antes de Maomé. Um outro verso é o que reivindica que as montanhas são como presilhas que evitam que a terra se mova. São citados geólogos que dizem que as montanhas têm "raízes" no subsolo que sustentam a terra no lugar, quando na realidade longe de evitarem terremotos, diz-se atualmente que as montanhas se elevam como um resultado da atividade sísmica.

 A maioria, talvez, dos escritos dos muçulmanos nesse assunto se refere ao desenvolvimento do embrião humano. Muitos versos descrevem como nos originamos de uma gota de sêmen que irrompe pelo corpo (Sura 53,46 de "entre a coluna vertebral e as costelas"; v. tb. Sura 86,7). Os muçulmanos reivindicam que a idéia totalmente falsa de que o esperma é produzido em algum lugar na região da coluna vertebral corresponde ao lugar do desenvolvimento embriológico, apontados pelos testes, que está próximo aos rins - embora não haja possibilidade dessa interpretação em seu contexto. De fato, o médico grego Hipócrates ensinava, 1.000 anos antes de Maomé, que o sêmen passa através da região dos rins e da espinha. Outros versos dizem que nós nos desenvolvemos em quatro estágios: uma gota de sêmen, um coágulo de sangue, um pedaço de carne informe e um estágio no qual os ossos são revestidos com carne (Sura 22,5; Sura 23,13). Tentando identificar pontos precisos do desenvolvimento humano a que se referem esses estágios, cientistas muçulmanos negligenciaram totalmente o fato de que Galen, escrevendo a Pérgamo, na Turquia, (Ap 2,12), no ano 150 dC, diz que os humanos crescem através desses quatro estágios de desenvolvimento. Outros exemplos poderiam ser dados do Alcorão e do Hadith (ditos de Maomé) que têm sido torcidos para tentar mostrar que eles dizem coisas que só foram descobertas recentemente. O único caso que foi conclusivamente demonstrado foi que essas coisas originalmente ensinada pelos gregos antigos eram bem conhecidas entre os povos árabes no tempo de Maomé. Longe de provar que o Alcorão é divinamente inspirado, elas apresentam evidência adicional que ele teve origens humanas.

VOLTA