HOME > SEITAS E HERESIAS > MORMONISMO

         O mormonismo e a "doutrina da existência pré-mortal" 

Emerson Honório de Oliveira

Os mórmons (SUD) acreditam que os espíritos já viviam num estado consciente antes de vir ao mundo. Isto é chamado de "doutrina da existência pré-mortal". Vejamos o que diz um site SUD:

A doutrina da Existência Pré-Mortal é perfeitamente escriturística e esclarece muitas passagens bíblicas, a saber:
-
Como Jeremias, conhecido e consagrado profeta por Deus antes mesmo de nascer e de se formar no ventre de sua mãe (Jeremias 1:5)
- Do Espírito após a morte "voltar" para o Deus que o deu; Ecls. 12:7
- Das nações de nascimento já pré-determinadas por Deus; Atos 17:26-27
- Dos discípulos acreditarem que um cego de nascença poderia ter pecado antes de vir a esta Terra; João 9:1-3
- De Deus ter preferido a Jacó e não ao primogênito Esaú desde o nascimento de ambos, antes mesmo de poderem ter escolhido o bem ou o mal nesta vida terrena (Romanos 9:9-13)

Vamos ver se é "perfeitamente escriturística". Se os SUD se referem à pré-existência como significando a onisciência de Deus (que sabe o passado, presente e futuro) estes versículos fazem sentido. Mas se estão a referir a pré-existência dos espíritos no sentido se estarem "conscientes" antes de vierem ao mundo, é uma idéia totalmente anti-bíblica. Vejamos versículo po versículo:

- Jr. 1.5: "Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações"

Os SUD devem estar se referindo à forma como Deus podia conhecer Jeremias mesmo sem antes dele nascer. Ignorando ou não a oniscência de Deus, os SUD deixam de notar que Deus sabe de todas as coisas (não era necessário Jeremias existir num estado proto-espiritual para que Deus o conhecesse). É uma forma de falar das Escrituras para mostrar como Deus conhecia o futuro. Deus estava falando em como Ele mesmo estipulou um plano para Jeremias, que seria enviado para o povo. Veja Ex. 33:12,17; compare com Is. 49:1,5 e Rm. 8:29. S. Paulo fala de uma maneira parecida em Gl. 1.15,16.

- Ecl. 12.7: "e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu"

Mais uma vez, resta saber aos SUD se eles estão querendo dizer que existe um "mundo dos espíritos" antes do ser vir a nascer ou se Deus sabe de todas as coisas. Os SUD devem estar pensando que o "espírito" aqui é o mesmo "consciente" antes de nascer. Deus aqui está falando do que ele deu ao homem: o princípio de vida. O autor de Eclasiastes não é materialista. Está afirmando que existe algo a mais além da aparência física. "Para voltar a Deus, que é a fonte (Sl. 36:9) da Vida, certamente quer continuar vivendo. A doutrina da vida depois da morte é implícita aqui como em Ex. 3:6 (compare com Mc. 12:26), Sl. 17:15 e em muitas outras passagens das Escrituras antes da época de Salomão. A inferência que a alma perde sua personalidade e está absorta em algo mais não tem nenhuma garantia nisto ou qualquer outra declaração neste livro, e perseguiria incoerente com o anúncio de um juízo da morte (Ec. 12:14)" (BARNES).

- At. 17.26-27: "de um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação; para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar, bem que não está longe de cada um de nós"

O apóstolo aqui se opõe ao destino estóico e ao acaso epicurista, atribuíndo os períodos e locais em que os homens e nações florescem para a soberania e organizações prévias de um Deus vivo. Novamente, a onisciência de Deus aparentemente sendo confundida com um mundo de espíritos pré-existentes.

- Jo. 9.1-3: "Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus"

Esta é uma das passagens master dos espíritas para a teoria da reencarnação. Ignorando o contexto e se baseando numa tradução tendenciosa, Allan Kardec ensina por aí a reencarnação. O caso dos SUD aqui é parecido (não que eles falem de reencarnação, mas de pré-existência). "Era uma opinião universal entre os judeus que as calamidades de todos os tipos eram os efeitos do pecado. O caso, no entanto, deste homem era porque ele era cego de nascimento e a pergunta dos discípulos foi se ele era assim por sua falta ou pela de seus pais. Muitos dos judeus, quando aparece de suas escrituras (veja Lightfoot), criam na doutrina da transmigração das almas, ou que a alma de um homem, em conseqüência do pecado, poderia compelir-se para passar em outros corpos, sendo punida ali. Eles também criam que uma criança poderia pecar antes de nascer (veja Lightfoot), y que por consiguiente esta ceguedad podría haber descubierto al niño como consecuencia de eso. También era una doctrina con muchos que el crimen del padre podría ser la causa de deformidad en el niño, particularmente la violación del orden en #Le 20:18. 

Rm. 9.9-13: "Porque a palavra da promessa é esta: Por esse tempo, virei, e Sara terá um filho. E não ela somente, mas também Rebeca, ao conceber de um só, Isaque, nosso pai. E ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal (para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama), já fora dito a ela: O mais velho será servo do mais moço. Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú"

VOLTA