HOME > APOLOGÉTICA GERAL 

Uma ilustração de que a apologética realmente é. 

     A apologética é parte de um grande trabalho. É possível uma pessoa desprender muito esforço em um trabalho apologético, defender a palavra de Deus, para responder perguntas, para argumentar com pessoas e tem tudo para ficar exaustas. Desânimo é uma realidade ao apologista. Há vitórias, pela graça de Deus, certamente. Mas há muitos encontros que simplesmente poderiam ser classificados como "improdutivos". 
     Para lhe ajudar a manter seus olhos no tópico real de apologética, eu ofereço a ilustração seguinte. A idéia é fazer com que você entenda que seu trabalho é como um apologista, como alguém que responde perguntas e objeções, e leva as pessoas para Jesus. Eu acredito que se você entender quem você é e o que é o seu 'trabalho' , então você não será superado pelo desânimo caso não entendesse. 

Apologética é como. . .

     Apologética é como um campo. No centro do campo está um jardim. Este jardim tem uma porta e essa porta é Jesus. Há um caminho que conduz àquela porta. Dentro do jardim está a vida eterna na presença de Deus. Fora disto, porém, no campo, há pedras, pedregulhos, espinhos, cardos, vales, colinas, e muitos falsos caminhos que não conduzem a nenhuma parte. 
     O apologista mora no campo e aponta as pessoas para o verdadeiro caminho, podendo assim elas acharem o Jardim. O apologista busca remover os espinhos intelectuais e pedras emocionais que impedem as pessoas de achar o caminho da verdade para Deus. Também, há muitas pessoas que estão caminhando falsos caminhos (cultos, filosofias, etc.) que nunca chegarão àquele jardim. O apologista com suavidade guia a pessoa, remove os obstáculos, e aponta na direção do Jardim. Quando as pessoas chegam lá, é entre eles e Deus se querem ou não entrar. 
     Imagine você como operário no campo. Não é seu trabalho salvar ninguém. É seu trabalho apontar o caminho. Você não é o único no campo. Os que chegam para o Jardim não é seu trabalho. Eles chegam lá. Você simplesmente os ajuda . 



Matthew J. Slick
Tradução de Emerson de Oliveira

 

VOLTA