HOME > CULTOS/RELIGIÕES > CRISTIANISMO 

Doutrinas e práticas essenciais

Por: Apologetic Index
Tradução: Stephen Adams

A má doutrina produz maus frutos (por exemplo, Mc. 7:7-13; Cl. 2:20-23; ITm. 4:1-5; IIPd. 2:1; Ap. 2:14-15, 20, 24) que é verdadeiro tanto para os cristãos como é para as seitas. 

Como Van Baalen disse: "se prática vem da teoria e se a vida é baseada no ensino, segue-se que a doutrina errada irá levar a uma atitude errada para Deus e Cristo, e por conseguinte, para uma vida cristã errada".

                                                                                        Alan Gomes, Desmascarando as Seitas 


Doutrinas chaves 

Os indivíduos que, mesmo afirmando ser cristãos, rejeitam uma ou mais doutrinais centrais (chaves) da fé cristã, são considerados hereges. Os grupos que rejeitam estas doutrinas, mesmo afirmando representarem o cristianismo, são considerados seitas de cristianismo. 

"Uma seita do cristianismo é um grupo de pessoas que, afirmando serem cristãs, crêem num sistema doutrinal particular ensinado por um líder individual, um grupo de líderes, ou uma organização (sistema) que nega (explicitaou implicitamente) uma ou mais das doutrinas centrais da fé cristã como ensinadas nos sessenta e seis livros da Bíblia" (Alam Gomes, Seitas: Uma Definição Teológica, extraído de "Desmascarando as Seitas )


As doutrinas centrais da fé cristã são as doutrinas que fazem a fé cristã e não outra coisa. 

1 - O significado da expressão "fé cristã" não é como um nariz de cera que pode ser torcido para significar o que uma pessoas quer que signifique. 

2 - A fé cristã é um sistema definido de crenças com conteúdo definido (Jd. 3) 

3 - Certas doutrinas cristãs constituem o centro da fé. Estas doutrinas centrais incluem a Trindade, a divindade de Cristo, a ressurreição, a obra reconciliatória de Cristo na cruz, e salvação pela graça da fé. Estas doutrinas são a essência da fé cristã e negar qualquer uma delas é caracterizar uma crença de não-cristã.

4 - As Escrituras ensinam que as crenças mencionadas acima são de importância central (por exemplo, Mt. 28:19; Jo. 8:24; ICo. 15; Ef. 2:8-10). 

5 - Como estas doutrinas centrais definem o caráter do cristianismo, ninguém pode ser salvo se negar qualquer uma delas. 

6 - As doutrinas centrais não devem ser confundidas com assuntos periféricos sobre os quais os cristãos podem discordar (e mesmo assim serem classificados como cristãos). 

As doutrinas periféricas (i.e. dispensável) são aquelas como a época da tribulação, o método do batismo, ou a estrutura do governo de igreja. Por exemplo, pode-se estar errado sobre a identidade  dos "espíritos na prisão" (IPd. 3:19) ou sobre o tempo do arrebatamento e ainda ir para o céu, mas a pessoa não pode negar a salvação pela graça ou a divindade de Cristo (Jo. 8:24) e ser salva. 

7 - Todas as denominações cristãs - católicos, ortodoxos ou protestantes - concordam nas doutrinas centrais. As doutrinas periféricas, ou secundárias, portanto, não podem ser usadas para dizer que elas não são cristãs. 
Fonte: Alam Gomes, Seitas: Uma Definição Teológica, extraído de " Desmascarando as Seitas 

 

VOLTA