HOME > SEITAS/HERESIAS > TESTEMUNHAS DE JEOVÁ 

Devem as Testemunhas de Jeová orar a Jesus?

Por: www.jude3.net
Tradução: Emerson H. de Oliveira

Um tópico que repetidamente surge em discussão com as TJ é a oração. Há muitos aspectos que podem ser explorados sobre a oração, mas neste artigo enfocaremos em uma questão. Devem as Testemunhas de Jeová orar a Jesus? Por que enfocar esta questão, já que há tantas facetas na oração? Por duas razões. Primeiro: as TJ vêem a oração como um ato de adoração e insistem que só deve ser dirigida a Jeová. Segundo: a Tradução do Novo Mundo (a tradução de Bíblia produzida pelas TJ e considerada por eles ser autorizada) contém relatos interessantes (alguns diriam chocantes) sobre a oração dirigida a Jesus. Isto coloca as TJ em um enigma. Eles recebem ensinos de uma organização que claramente contradizem a tradução da Bíblia produzida por esta mesma organização. Muitas TJ ficaram chocadas com isto e perguntaram: "o que eu devo fazer? Devo seguir o que a Torre de Vigia diz ou o que a Bíblia diz"? 

Primeiro, vamos entender a idéia de oração pela Torre de Vigia e sua relação com adoração. O seguinte excerto é tirado do Estudo Perspicaz das Escrituras, publicado pela Torre de Vigia. Esta publicação é uma de suas obras primárias de referência. 

O dirigir-se, em forma adorativa, ao verdadeiro Deus ou a deuses falsos. Simplesmente falar com Deus não é, necessariamente, uma oração, como se pode ver do julgamento proferido no Éden e no caso de Caim. (Gên 3:8-13; 4:9-14) A oração envolve devoção, confiança, respeito e um senso de dependência para com aquele a quem a oração é dirigida. As diversas palavras hebraicas e gregas relacionadas com a oração transmitem idéias tais como pedir, solicitar, peticionar, rogar, suplicar, pleitear, implorar o favor, buscar, indagar de, bem como louvar, agradecer e bendizer.
(Estudo Perspicaz das Escrituras, p.136)

Como você pode ver, a oração, na teologia da Torre de Vigia, é "dirigir-se de forma adorativa", seja para o verdadeiro Deus ou a falsos deuses. Este sentimento é ecoado numerosas vezes nas publicações da Bíblia da Torre de Vigia. Não é de se admirar que a STV ensina que a oração só deve ser dirigida à Jeová Deus. Um exemplo disto bastará. 
 
O livro bíblico de Hebreus fala da pessoa que "se aproxima de Deus". (Hebreus 11:6) Quem é esse Deus? Existe apenas um Deus todo-poderoso, embora existam muitos deuses de fabricação humana e falsos. (1 Coríntios 8:5, 6) O Deus todo-poderoso da Bíblia chama-se Jeová. (Salmo 83:18) Ele é o Criador de todas as coisas e, por isso, as orações devem ser dirigidas somente a ele.
(A Sentinela, p.6)

Sabendo estas coisas, vamos voltar para a Tradução do Novo Mundo e retornar a nossa questão original. Devem as Testemunhas de Jeová orar a Jesus? O relato de Estêvão, o primeiro o mártir da igreja, é encontrado em At. 6-7 1. À conclusão do discurso de Estêvão para os judeus, a raiva deles aumenta. Eles o apedrejam até a morte. À medida que é apedrejado, aumenta o brilho das palavras finais de Estêvão. Suas ações ao findar da vida concordam com a instrução da Torre de Vigia sobre a oração ou Estêvão adorou Jesus antes de morrer? As citações seguintes foram extraídas de várias edições e traduções da Bíblia publicadas pela Sociedade Torre de Vigia. Preste atenção nas notas em asterisco das traduções alternativas nas notas de rodapé em cada uma das versões.

 
Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs (1950) 
(At. 7:59) E eles lançaram pedras em Estêvão e ele clamou*e disse: “Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 

*Ou, “prece; oração”

--------------------------------------------------
Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs (1950, segunda edição, revisada em 1 de maio de 1951) 
(At. 7:59) E eles lançaram pedras em Estêvão e ele clamou* e disse: “ Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 

* Ou, “prece; oração”

--------------------------------------------------
Tradução  do Novo Mundo das Sagradas Escrituras (1961, revisada em 1971) 
(At. 7:59) E eles lançaram pedras em Estêvão e ele clamou* e disse: “ Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 

* Ou, “prece; oração”

--------------------------------------------------
Tradução  do Novo Mundo das Sagradas Escrituras com referências (1961, revisada em 1984) 
(At. 7:59) E eles lançaram pedras em Estêvão e ele clamou* e disse: “ Senhor Jesus, recebe meu espírito.” 

* Ou, “prece; oração”

--------------------------------------------------

The Emphatic Diaglott (1942 edição, publicada por IBSA e WTBTS) 
(At. 7:59) E eles apedrejaram a Estêvão, e ele estava invocando e dizendo: “ Senhor Jesus, *receba meu espírito.” 

*Dexai também pode ser traduzida como sustento ou apoio. Booth, em seu "Léxico de palavras gregas primitivas", dá isto como um dos significados da palavra. A oração de Estevão leria então: “Senhor Jesus, sustente meu espírito,” ou “me ajude a sofrer.”

As notas de rodapé encontradas na Tradução do Novo Mundo são bastante surpreendentes. "Estêvão fez oração e disse: 'Senhor Jesus, receba meu espírito'". A Tradução do Novo Mundo diz claramente que Estêvão rezou a Jesus. Rezou a Jesus! A mesma tradução produzida por uma organização que nega a validade de rezar a Jesus diz que Estêvão rezou a Jesus. Incrível! A Bíblia usada pelasTJ pelo mundo inteiro claramente mostra para eles que é perfeitamente correto rezar a Jesus, que é um ato de adoração dirigido a ele.2

Alguns cristãos que lêem isto poderiam dizer: "claro que Estêvão rezou a Jesus. E daí?" As TJ não acreditam que Jesus é Deus. Então eles não oram ou adoram a Jesus. Porém, se há uma única ocorrência bíblica de verdadeira adoração a Jesus, seria o  bastante para destruir a religião da Torre de Vigia e abrir a porta para o verdadeiro Jesus ser conhecido às TJ no mundo. E aqui está, bem na Bíblia deles!  

Alguma TJ lendo isto pode objetar à conclusão que Estêvão está, de fato, orando a Jesus. Eles podem tentar descartar ou ingorar a nota de rodapé, dizendo que "oração" é um dos possíveis significados da palavra mas não foi a escolhida como tradução alternativa pelo comitê de tradução da Tradução do Novo Mundo. Eu os faria lembrar da Introdução na TNM, sobre as notas de rodapé. "Nós também oferecemos traduções alternativas dos textos Hebraicos e gregos, junto com leituras variantes de outros manuscritos e versões". Pegue suas TNM e comece com At. 7:59. Agora, localize todas as notas de rodapé semelhantes [i.e. Ou, "algo"] e insira as leituras providas nos versículos respectivos. Em qualquer ocorrência que ver, a tradução alternativa altera fundamentalmente o significado do texto ou simplesmente é outro modo de dizer a mesma coisa? Em todos os casos que eu examinei, o Comitê de Tradução de TNM foi consistente em formatar as traduções inglesas alternativas desta forma. 

A própria organização de Torre de Vigia tem se esforçado para tratar com At. 7:59. Às vezes, eles explicam (corretamente) que é uma oração. 

 
Perguntas dos leitores

A oração de Estêvão a Jesus, como encontrada em At. 7:59, mostra que ele entendeu Jesus como Jeová?
—W. R., E.U.A. 
A oração oferecida por Estêvão quando ele estava sendo martirizado é registrada em At. 7:59, 60... (A Sentinela; 1 de fevereiro de 1959; p.96; grifo nosso)

A Sentinela disse, “Toda oração é uma forma de adoração.” (A Sentinela; 12/15/1994; pág. 23) 


Estêvão orou a Jesus. Estêvão adorou a Jesus. Você seguirá o bom exemplo de Estêvão? 

Nota do Tradutor:

  • 1.Interessante o que o perito bíblico John Gill disse sobre At.7.59: 

    "e dizendo: 'Senhor Jesus recebe meu Espírito'; (...) Esta é uma prova tão clara de oração feita a Jesus que alguns socinianos, percebendo a força deste versículo, colocaram a palavra Jesus no genitivo, ficando assim: 'Senhor de Jesus, receba meu espírito', como se a oração fosse feita ao Pai de Cristo, quando é Jesus que Estêvão viu à direita de Deus, a quem ele invoca, e que é freqüentemente chamado de Senhor Jesus; já o Pai nunca é chamado de Senhor de Jesus". (Expositor de John Gill)

    Notem que as TJ felizmente não foram tão longe ao ponto de alterar o verso para "'Senhor de Jesus, receba meu espírito" e tem que encontrar miríades de explicações para fugir do caso. A verdade é que as TJ não têm saída, pois o versículo é a maior prova de oração A Jesus.
  • 2. De uma maneira sutil, por um corte bem planejado, a revista A Sentinela, de 1/1/2005, na pág. 31 (Perguntas dos Leitores) tenta dar uma explicação (ou fuga) para o caso da oração a Jesus e fala sobre a palavra "invocar" do versículo:

No entanto, muitas versões dizem que Estêvão "orou" a Jesus. E a nota de rodapé da Tradução do Novo Mundo mostra que a expressão "fazia apelo" pode também significar "invocação; oração". Indicaria isso que Jesus é o Deus todo-poderoso? Não. O Dicionário Vine explica que, nesse caso, a palavra grega original epikaléo significa: "chamar sobre, invocar; . . . apelar a uma autoridade". Paulo usou essa mesma palavra ao declarar: "Apelo para César!" (Atos 25:11) Apropriadamente, então, a Versão Almeida, Revista e Atualizada diz que Estêvão "invocava" a Jesus.

A costura bem sutil feita no Dicionário Vine veio bem depois da explicação "apelar a uma autoridade". Eles pararam por aí. Mas veja o que deixaram de dizer:

(e) invocar em adoração, usando o nome do Senhor (At._2:21; Rm._10:12,13,14; 2Ti_2:22)

Por que não colocaram tudo? Por só disseram que epikaléo significa ""chamar sobre, invocar; . . . apelar a uma autoridade". Por que não disseram aí nas reticências que também significa "invocar em adoração"? Esta é uma clara demonstração da falsidade ideológica e hipocrisia da Torre, que não quer que você veja que também significa invocação de adoração.

O Léxico do NT Bauer-Danker (BDAG) define epikaléo como "invocar uma divindade para qualquer propósito; pedir ajuda". Sim, Estevão estava "invocando" no sentido de pedir ajuda a Jesus.

 

VOLTA