HOME > SEITAS/HERESIAS > TESTEMUNHAS DE JEOVÁ 

Respondendo ao site O Sentinela em Vigia
"Trindade: Introdução aos erros"

Por: Emerson H. de Oliveira

Abrindo esta série de respostas ao site TJ O Sentinela em Vigia, vamos iniciar com "Trindade: Introdução aos erros" (cujas matérias foram tiradas de um site espanhol). Vamos colocar o texto do artigo em preto e minhas respostas em azul:

---------------------------------------------------------------------------------

O mundo do cristianismo nominal está composto por mais de 1,800 milhões de pessoas. As igrejas a que estas pertencem reconhecem a Jesus Cristo como o Deus Todo-Poderoso e ao Espírito Santo como a terceira pessoa da Deidade Trina e Una. Em comparação com essa monumental quantidade de crentes, também há alguns cristãos que reconhecem a Jeová como o único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo como o Filho de Deus e a primeira criação de Deus.

Este site (o Logos) não tem por função atacar pessoalmente ninguém, mas discutir e analisar as crenças por trás dos sistemas. Vamos ver qual é o mais antigo (e, portanto, mais próximo do ensino dos apóstolos): a crença na Trindade ou no arianismo?

Alguns sinônimos teológicos do dogma são “Triunidade”, “Deus Trino    e Uno”, “Deidade Trina e Uma”, “Trindade de Deus”, “Deus Tripessoal”. São populares as frases “Deus-Filho” e “Deus-Espírito Santo” na teologia católico-protestante.

Que, diga-se de passagem, a Torre de Vigia é especialista em fazer homem de palha para atacar os trinitarianos: distorcem o que cremos (dão a impressão que cremos numa espécie de modalismo com triteísmo) para poder melhor atacar o trinitarianismo. Vamos ver que a Torre não é nada honesta quando se trata de expôr as crenças dos trinitários.

Para alguns, negar que o Filho seja eterno é negar “a Divindade de Jesus Cristo”. De fato, os prelados, no tema, têm ligado intimamente as expressões “Divindade” e “Trindade”, ao grau que se Jesus possui divindade automaticamente tem que ser o mesmo que Deus. Se alguém diz que Jesus não é igual a Deus, os trinitários deduzem que este trata de “tirar sua Divindade”. É evidente que se tem complicado o entendimento das Escrituras, e é precisamente por essa razão que à Trindade se tem denominado o “mistério central da fé cristã”.

Outra espécie de falácia jeovista. Ora, se Jesus tem as mesma características de Deus (eternidade sem princípio - Jo.1.1) como Ele não seria Deus? Se não há outro deus com Deus, só podemos deduzir que tem que ser alguém com as mesma características. As TJ amam falar que a Trindade é complicada para poder melhor rebatê-la. Há muitas características de Deus que, para nós, são ilógicas, como sua eternidade.  Esta é a linha-mestra da Sociedade: elas dizem que a Trindade é ilógica (crença igual a dos muçulmanos). Para algo ser ilógico, teria que contradizer a razão. A doutrina da Trindade não é contrária à razão. A Trindade não é 1 pessoa em 3 pessoas ou 1 Deus em 3 deuses. Não é verdade que algo só porque não é completamente explicável não pode existir ou não pode ser verdade. Por exemplo, muitas das fórmulas científicas não contrariam a razão e poder ser apreendidas (mesmo não sendo compreendidas) pela mente humana.

Podemos entender completamente como a luz viaja? Viaja como uma onda, corpuscular ou fenômeno quântico? Mesmo assim, cremos que a luz é real, embora não possamos compreendê-la totalmente.  

A Trindade pode não ser totalmente compreendida, mas seguramente podemos entender como Deus se revelou a nós pelas Escrituras: Há UM DEUS VERDADEIRO: o Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. E os três são claramente diferenciados. Um Deus se revelou em três Pessoas distintas. Não podemos simplesmente colocar Deus numa tábua rasa para satisfazer nossas mentes humanas. Somos chamados para adorar a Deus como Ele se revelou a nós em Sua Palavra, e qualquer ensino contrário a isto e não adorar e honrar verdadeiramente a Deus. 

As Testemunhas de Jeová rejeitam a Trindade e por isso rejeitam a Deus. Deus é tri-pessoal. Ele não é um Deus unipessoal como ensinou pelas Testemunhas de Jeová. Elas não tem desculpa: 

"Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento." (Is. 40:28).

Os não-trinitários, cuja exegese é totalmente oposta a trinitária, possuem crenças mais claras acerca de Deus, do Filho e do espírito santo. Seu entendimento se resume assim:

 

              Jeová, o Pai, é o único Deus verdadeiro e o Criador

               de todas as coisas. Jesus, o Filho, é um ser divino

               subordinado ao Pai, criado por Deus e o meio pelo

               qual vieram a existir todas as coisas. O espírito santo

               é a poderosa força que emana do Pai, cujo propósito

               é que se cumpra a Sua vontade.           

O que, durante estes nossos artigos, as TJ vão ter muito o que explicar com o versículos que claramente comprovam a deidade de Jesus. O Espírito Santo procede do Pai e do Filho. Não creio em três deuses, Deus é um, portanto...

Sem dúvida que esta interpretação das Escrituras não está livre de escárnio por parte de alguns seguimentos. Estão inclusos nestes os que têm demonizado a Ário e aos arianos do século III E.C., e desdenhosamente chamam aos não-trinitários de “arianos”. Outros dizem que não é cristão aquele que rejeita a Trindade, e replicam que as Testemunhas de Jeová combatem esse dogma por que não o entendem.

Quem conhece a História da Igreja sabe do estrago que Ário causou. Foi um heresiarca de primeira, que dividiu a união da Igreja (não só doutrinamente). Era daquele que "era dos nossos mas não suportou a sã doutrina". 

VOLTA