HOME > TEÍSMO/ATEÍSMO 

Entropia e casualidade como provas para a existência de Deus

     Definição: A segunda lei da termodinâmica mostra que a quantidade de energia em um sistema existente está diminuindo. Em outras apalvras, a tendência completamente natural das coisas é se degradarem, não entrarem em ordem e a energia disponível necessária para existir é perdida neste processo. No futuro, o Universo se degradará e todas as coisas vivas irão cessar. Esta é a tendência natural de todas as coisas. As máquinas se decompõe, os edifícios entram em ruínas, os seres vivos morrem, etc. Ao estado natural, todas as cosias deixariam de funcionar, no futuro.

  1. O Universo não é infinitamente antigo porque não está em um estado de entropia.
    1. Se o Universo fosse infinitamente velho, haveria alcançado um estado de entropia há muito tempo.
    2. Mas, nós não estamos em um estado de entropia, por conseguinte, o Universo não é infinitamente antigo e deve ter um princípio.
  2. Já que o Universo teve um princípio não é infinitamente grande em tamanho.
    1. Seria necessário uma grande quantidade de tempo para ser infinito em tamanho. Já que o Universo teve um princípio, não houve uma grande quantidade de tempo para se estender, por conseguinte, é finito em tamanho.
  3. Todos os eventos tem causas. 
    1. Não pode haver um retrocesso inifinito de eventos porque isso significaria que o Universo é infiinitamente velho. 
      1. Se fosse infinitamente antigo, o Universo estaria em um estado de entropia, o que não está.
      2. Se fosse infinitamente antigo, o Universo sria infinitamente grande, o que não é.
  4. Já que o Universo é finito e teve um princípio e não pode haver um número inifito de regressões de causas para trazê-lo à existência, deve haver um princípio que originou o Universo.
    1. Um princípio originou o Universo deve ser maior em tamamho e duração que o Universo que trouxe em existência. 
      1. Por outra parte, nós temos o princípio originando um Universo maior ou igual ao si mesmo.
    2. Qualquer causa que é natural ao Universo é parte do Universo.
      1. Um evento que é parte do Universo não pode causar sua própria extinção.
      2. Deve ahver uma causa, portanto, fora do Universo.
    3. Essa causa não pode ser uma aprte natural do Universo que é finito.  
      1. Essa causa seria infinita no espaço e tempo já que é maior que o que trouxe à existência.
  5. Esta causa é sobrenatural. 
    1. Por sobrenatural quero dizer completamente que é algo 'fora' do Universo natural.
      1. Isto faria a não-causa ser sobrenatural.
      2. Esta causa deve ser Deus.
     a estas alturas eu admito fazer um salto de lógica e afirmo que o sobrenatural, a causa é o Deus da Bíblia.
  1. A Bíblia ensina que Deus é infinito no tempo e no espaço e é totalmente separado do Universo que criou.
  2. Deus se define como ser infinito em tamanho, duração, e poder.
  3. Por conseguinte, o Deus da Biblia é a não-causa que originou o Universo.


Matthew J. Slick
Tradução de Emerson de Oliveira

 

VOLTA